sexta-feira, 29 de setembro de 2017

26º DOMINGO DO TEMPO COMUM (ano A)

Leitura da Profecia de Ezequiel
(Ez 18,25-28)
Eis o que diz o Senhor: «Vós dizeis: ‘A maneira de proceder do Senhor não é justa’. Escutai, casa de Israel: Será a minha maneira de proceder que não é justa? Não será antes o vosso modo de proceder que é injusto? Quando o justo se afastar da justiça, praticar o mal o vier a morrer, morrerá por causa do mal cometido. Quando o pecador se afastar do mal que tiver realizado, praticar o direito e a justiça, salvará a sua vida. Se abris os seus olhos e renunciar às faltas que tiver cometido, há-de viver e não morrerá».


SALMO RESPONSORIAL – Salmo 24 (25)
Refrão: Lembrai-Vos, Senhor, da vossa misericórdia.

Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos,
ensinai-me as vossas veredas.
Guiai-me na vossa verdade e ensinai-me,
porque Vós sois Deus, meu Salvador:
em vós espero sempre.

Lembrai-Vos, Senhor, das vossas misericórdias
e das vossas graças que são eternas.
Não recordeis as minhas faltas
e os pecados da minha juventude.
Lembrai-Vos de mim segundo a vossa clemência,
por causa da vossa bondade, Senhor.

O Senhor é bom e recto,
ensina o caminho aos pecadores.
Orienta os humildes na justiça
e dá-lhes a conhecer os seus caminhos.


Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Filipenses
(Filip 2,1-11)
Irmãos: Se há em Cristo alguma consolação, algum conforto na caridade, se existe alguma consolação nos dons do Espírito Santo, alguns sentimentos de ternura e misericórdia, então, completai a minha alegria, tendo entre vós os mesmos sentimentos e a mesma caridade, numa só alma e num só coração. Não façais nada por rivalidade nem por vanglória; mas, com humildade, considerai os outros superiores a vós mesmos, sem olhar cada um aos seus próprios interesses, mas aos interesses dos outros.Tende em vós os mesmos sentimentos que havia em Cristo Jesus. Ele, que era de condição divina, não Se valeu da sua igualdade com Deus, mas aniquilou-Se a Si próprio. Assumindo a condição de servo, tornou-Se semelhante aos homens. Aparecendo como homem, humilhou-Se ainda mais, obedecendo até à morte, e morte de cruz. Por isso, Deus O exaltou e Lhe deu um nome que está acima de todos os nomes, para que ao nome de Jesus todos se ajoelhem, no céu, na terra e nos abismos, e toda a língua proclame que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.


Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
(Mt 21,28-32)
Naquele tempo, disse Jesus aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos do povo: «Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Foi ter com o primeiro e disse-lhe: ‘Filho, vai hoje trabalhar na vinha’. Mas ele respondeu-lhe: ‘Não quero’. Depois, porém, arrependeu-se e foi. O homem dirigiu-se ao segundo filho e falou-lhe do mesmo modo. Ele respondeu: ‘Eu vou, Senhor’. Mas de facto não foi. Qual dos dois fez a vontade ao pai?» Eles responderam-Lhe: «O primeiro». Jesus disse-lhes: «Em verdade vos digo: Os publicanos e as mulheres de má vida irão diante de vós para o reino de Deus. João Baptista veio até vós, ensinando-vos o caminho da justiça, e não acreditastes nele; mas os publicanos e as mulheres de má vida acreditaram. E vós, que bem o vistes, não vos arrependestes, acreditando nele».


BOA NOTÍCIA
Não é um dizer: é um fazer.
Depois de termos escutado, na missa da semana passada, uma parábola que falava de uma vinha, no próximo domingo dia 1 de Outubro, encontramos uma outra onde Jesus conta a história de um homem que tinha pedido aos seus dois filhos que fossem vindimar. O filho que disse «Eu vou!», acabou por não ir e o que tinha dito «Não quero!», mais tarde arrependeu-se e foi. Para terminar, Jesus surpreende-nos com esta afirmação: «Os publicanos e as mulheres de má vida irão diante de vós para o reino de Deus».

Obviamente, não se está a querer insinuar que o pecado seja um atalho que nos leva direitinhos às portas do céu! Se os publicanos, os pecadores, as prostitutas e os adúlteros entram antes de muitos no reino de Deus, isso não se deve aos pecados que cometeram, mas sim, ao arrependimento e conversão de vida que mostraram. Esta parábola é como um grito de alerta: ai daquele que acha que basta dizer «Eu sou cristão» para encontrar a salvação! É muito perigosa a ilusão de viver uma vida cristã… Um pecador pode sempre arrepender-se, mudar de vida, caminhar na direcção do amor do Pai. No entanto, uma pessoa que diz a si própria «Estou bem!», nunca irá procurar mais nada. Quem acredita que não precisa de mudar está condenado à imobilidade. E a nossa fé é Caminho! A nossa fé, para usar uma expressão do grande poeta mexicano Octavio Paz, «não é um dizer: é um fazer. É um fazer que é dizer».

P. Carlos Caetano
in LusoJornal 2017.09.29





Sem comentários:

ASSINAR ESTE BLOGUE - Follow by Email

Arquivo do blogue