quarta-feira, 25 de novembro de 2015

1º DOMINGO DO TEMPO DO ADVENTO (ano C)

Leitura do Livro de Jeremias
(Jer 33,14-16)
Eis o que diz o Senhor: «Dias virão, em que cumprirei a promessa que fiz à casa de Israel e à casa de Judá: Naqueles dias, naquele tempo, farei germinar para David um rebento de justiça que exercerá o direito e a justiça na terra. Naqueles dias, o reino de Judá será salvo e Jerusalém viverá em segurança. Este é o nome que chamarão à cidade: ‘O Senhor é a nossa justiça’».


SALMO RESPONSORIAL – Salmo 24 (25)
Refrão: Para Vós, Senhor, elevo a minha alma.

Mostrai-me, Senhor, os vossos caminhos,
ensinai-me as vossas veredas.
Guiai-me na vossa verdade e ensinai-me,
porque Vós sois Deus, meu Salvador.

O Senhor é bom e recto,
ensina o caminho aos pecadores.
Orienta os humildes na justiça
e dá-lhes a conhecer os seus caminhos.

Os caminhos do Senhor são misericórdia e fidelidade
para os que guardam a sua aliança e os seus preceitos.
O Senhor trata com familiaridade os que O temem
e dá-lhes a conhecer a sua aliança.


Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Tessalonicenses
(1 Tes 3,12–4,2)
Irmãos: O Senhor vos faça crescer e abundar na caridade uns para com os outros e para com todos, tal como nós a temos tido para convosco. O Senhor confirme os vossos corações numa santidade irrepreensível, diante de Deus, nosso Pai, no dia da vinda de Jesus, nosso Senhor, com todos os santos. Finalmente, irmãos, eis o que vos pedimos e recomendamos no Senhor Jesus: recebestes de nós instruções sobre o modo como deveis proceder para agradar a Deus e assim estais procedendo; mas deveis progredir ainda mais. Conheceis bem as normas que vos demos da parte do Senhor Jesus.


Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc 21,25-28.34-36)
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas e, na terra, angústia entre as nações, aterradas com o rugido e a agitação do mar. Os homens morrerão de pavor, na expectativa do que vai suceder ao universo, pois as forças celestes serão abaladas. Então, hão-de ver o Filho do homem vir numa nuvem, com grande poder e glória. Quando estas coisas começarem a acontecer, erguei-vos e levantai a cabeça, porque a vossa libertação está próxima. Tende cuidado convosco, não suceda que os vossos corações se tornem pesados pela devassidão, a embriaguês e as preocupações da vida, e esse dia não vos surpreenda subitamente como uma armadilha, pois ele sobrevirá sobre todos os que habitam a terra inteira. Portanto, vigiai e orai em todo o tempo, para terdes a força de vos livrar de tudo o que vai acontecer e poderdes estar firmes na presença do Filho do homem».


BOA NOTÍCIA
Não é o fim do Mundo
O Evangelho do próximo domingo, dia 29 de Novembro, quase parece uma profecia sobre o fim do mundo (atenção: quase…): «Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas e, na terra, angústia entre as nações, aterradas com o rugido e a agitação do mar. Quando estas coisas começarem a acontecer, erguei-vos e levantai a cabeça, porque a vossa libertação está próxima».

O “fim dos tempos” sempre despertou curiosidade e várias datas suscitaram ânsia na população mais crédula. Por exemplo: segundo o “profeta” americano, John Ballou Newbrough, o fim do mundo deveria ter sido em 1947. Para o reverendo Sun Myung Moon, líder da Igreja da Unificação, tudo devia de ter acabado em 1967. As Testemunhas de Jeová chegaram a afirmar que o fim do mundo seria em 1914... depois, 1918... depois, 1925... depois, 1975... e claro, no ano 2000. E com certeza que não esquecemos todo o rebuliço de há três anos, quando muitos se convenceram que o mundo acabaria no dia 21 de Dezembro de 2012 (qualquer palermice sobre o calendário Maia e o alinhamento dos planetas…).

Há duas semanas atrás falei-vos do género literário apocalíptico e de como estes textos, apesar das imagens espectaculares que frequentemente utilizam, não são previsões do futuro mas sim, mensagens de esperança! O Evangelho de domingo insere-se plenamente nesse filão. Os sinais catastróficos apresentados são imagens tradicionalmente utilizadas pelos profetas antigos para falar do “dia do Senhor”, isto é, da acção de Deus que intervém na história para libertar o seu Povo da escravidão. O Evangelho é portanto um convite a vigiar, a não desperdiçar tempo com coisas inúteis, a não perder nunca a coragem e a esperança, mesmo nos momentos difíceis da nossa vida, porque a «libertação está próxima».

P. Carlos Caetano
in LusoJornal 2015.11.25




.

1 comentário:

gils disse...

1284 – o Papa Inocêncio III previu que o mundo acabaria no ano que marca os 666 anos do surgimento do islamismo. Só mais um exemplo das palermices.

ASSINAR ESTE BLOGUE - Follow by Email

Arquivo do blogue